domingo, 6 de janeiro de 2019

O sistema penal ruiu, faliu, quebrou

Dentro dos presídios (e mesmo fora deles) os internos/recuperandos são comandados, coisificados: obedecem ou apanham, são violentados, estuprados, mortos. Tem preso que não quer trabalho externo - imagine o absurdo - porque tem que voltar para dormir e sabe o que está reservado se não cumprir as "tarefas" atribuídas pelos comandos no retorno diário. O Estado perdeu autoridade dentro do sistema penal, que ruiu, faliu, quebrou. É o inferno que ninguém quer ver. Lá o preso perde não só a liberdade, aniquilam também a sua dignidade. Do jeito que caminha, o Estado ao prender, sem perceber, estará (ou melhor, já está) recrutando soldados para as facções criminosas. Está tudo errado, amigos, e não é de hoje! É o "Estado marginal", com suas regras espúrias, julgamentos sumários e execuções bestiais, mostrando força e poder, versus Estado acanhado, conivente, dito de Direito. Estamos inseguros, amedrontados e desarmados, à mercê dessas audaciosas facções criminosas. Observem o Ceará, como exemplo, na atualidade.